sexta, 19 de julho de 2024
Geral
21/06/2024 | 16:31

Energia Boa: Governo e Celesc projetam R$ 3 bilhões em investimentos para a geração de energias renováveis em SC

O governador Jorginho Mello lançou nesta sexta-feira, 21, na Associação Comercial e Industrial de Lages (ACIL), o Programa Energia Boa. Considerado o maior projeto estadual de fomento à geração de energias renováveis já realizado no País, o Energia Boa prevê a construção de seis novas subestações e 225,5 quilômetros de linhas de transmissão no Planalto Serrano. Com o aumento da infraestrutura, pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e centrais geradoras hidrelétricas (CGHs) poderão se conectar ao sistema elétrico, melhorando a oferta de energia limpa para toda a região e incentivando novos negócios.
Para alavancar estes projetos, o Governo do Estado planeja injetar R$ 572 milhões na realização de obras de infraestrutura energética em Lages, Painel, Campo Belo, Urubici, Matos Costa e Rio do Campo. Cabe ao Governo do Estado a disponibilização dos recursos e à Celesc, por atribuição regulatória, a execução das obras.
“Santa Catarina é um Estado de gente inovadora e que pensa no futuro. Com o Energia Boa, estamos largando na frente, lançando o maior programa estadual de incentivo às energias renováveis já realizado no Brasil. Ao melhorarmos a infraestrutura no Planalto Serrano, aumentamos também a rede de energia elétrica trifásica para a região”, disse o governador Jorginho Mello.
Além do governador do Estado, o lançamento contou com a presença de secretários estaduais, deputados estaduais e federais, prefeitos, vereadores, representantes de entidades de classe e empresários do setor.
Com a infraestrutura implantada, o Governo do Estado destrava pouco mais de R$ 3 bilhões em investimentos privados na região, que tem hoje o maior potencial hídrico do Estado. Serão mais 300 MW de potência instalada em fontes renováveis hídricas — com possibilidade de investimentos futuros em fontes de energia eólica, solar e biomassa. A expectativa é gerar cerca de 19 mil empregos nos próximos 3 anos somente na construção das PCHs/CGHs. O cronograma de implantação é de até 36 meses. As projeções são baseadas em estudos e estimativas feitas pelo setor.
“Este projeto será um divisor de águas porque irá movimentar toda a economia da região. Com mais energia disponível, evitamos que os agricultores e pecuaristas tenham perdas na produção, fortalecemos a indústria, movimentamos o turismo, garantimos mais emprego e renda para milhares de famílias catarinenses. Será uma nova era de desenvolvimento para a região”, complementou o governador.

JORNAL IMPRESSO
12/07/2024
05/07/2024
28/06/2024
21/06/2024

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS