terça, 18 de junho de 2024
Geral
07/06/2024 | 14:42

A face do medo: A insegurança em Itajaí e o impacto na comunidade

A aparente tranquilidade da vida universitária em Itajaí foi brutalmente interrompida nesta semana,  quando uma estudante de odontologia da Univali de 21 anos, sofreu uma tentativa de assalto e possível tentativa de estupro ao sair da universidade. O incidente, ocorrido na avenida ao lado do campus, ressalta o crescente clima de insegurança que assombra não apenas as universitárias, mas toda a população local.
 
O ataque e a coragem
Eram cerca de 20h quando a estudante, cujo nome será preservado por questões de segurança, estava caminhando sozinha em direção à sua casa, que fica no bairro Ressacada. De repente, um homem surgiu das sombras e, de forma agressiva, tentou arrastá-la para um beco próximo. Em meio ao pânico, ela lutou bravamente e conseguiu se desvencilhar do agressor. Na fuga desesperada, porém, depois de levar socos, acabou batendo o rosto em um poste, resultando em ferimentos. "Foi tudo muito rápido e assustador. Eu só pensava em escapar", relatou a jovem, ainda abalada. Seus colegas de universidade e familiares agora lidam com o trauma e a ansiedade gerados pelo ataque, um reflexo de um problema maior que afeta a cidade. O clima de medo entre as universitárias
Este não é um incidente isolado. Universitárias de Itajaí têm expressado crescente preocupação com a segurança ao redor do campi da Univali. A sensação de vulnerabilidade é palpável, e muitas estudantes relataram mudar suas rotinas para evitar andar sozinhas após o anoitecer. "A gente nunca imagina que algo assim pode acontecer, até acontecer", comentou Ana Paula, estudante de Direito. "Agora, todas nós estamos mais atentas e preocupadas."
 
A insegurança no entorno 
da Universidade
A área ao redor da Univali,  tornou-se motivo de apreensão. A presença de indivíduos em situação de rua e, muitas vezes, em uso de drogas, tem aumentado significativamente. Esses indivíduos são frequentemente associados a pequenos furtos e outros crimes menores, alimentando um ciclo de insegurança.
Moradores e comerciantes, não só daquela localidade, mas de toda o município de Itajaí, também estão em alerta. "Tem sido cada vez mais comum ver pessoas desocupadas nas ruas, muitas delas aparentando estar sob efeito de drogas. Muitos roubos à estabelecimentos comerciais, residências e prédios à noite aumentou a insegurança para todos nós", disse João Pereira, proprietário de uma comércio nas proximidades da universidade.
 
O papel das autoridades
A Polícia Militar e a Guarda Municipal de Itajaí informaram que vão intensificar a segurança na região após o incidente, aumentando o patrulhamento no entorno do campus e realizando blitz ou abordagens. No entanto, a sensação de insegurança persiste. A população clama por medidas mais efetivas e duradouras. "Precisamos de uma presença policial constante e de políticas públicas que abordem as raízes desses problemas, como o vício em drogas e a falta de oportunidades para essas pessoas", argumentou Carla Souza, moradora do bairro.
"Não temos uma política pública como existem em outros município, por exemplo, que faça uma internação compulsória de uma pessoa que não responde mais por seus atos por causa da droga", salientou outro morador.
 
O impacto na comunidade
A tentativa de assalto  à estudante de odontologia da Univali é um lembrete doloroso dos desafios de segurança que Itajaí enfrenta. A universidade já anunciou que está reforçando a segurança no campus e nos arredores.
Enquanto isso, a comunidade universitária se mobiliza para exigir mais ações das autoridades. "Não podemos deixar que o medo controle nossas vidas. Precisamos de segurança para estudar e viver em paz", afirmou o estudante Marcos Lima.
 
O que fazer
A tentativa de assalto e possível estupro na avenida ao lado da Univali é um lembrete doloroso dos desafios de segurança que Itajaí enfrenta. O medo é real e justificado, e as medidas tomadas até agora são apenas um começo. A comunidade precisa de soluções integradas e contínuas para garantir que estudantes e moradores possam viver sem o constante temor de serem vítimas de crimes.
Com a crescente insegurança e a presença de indivíduos em situação de vulnerabilidade nas ruas, Itajaí precisa urgentemente de uma abordagem multifacetada que combine policiamento eficiente com programas sociais de apoio e reabilitação. Somente assim será possível restaurar a sensação de segurança e tranquilidade que todos os cidadãos merecem.

JORNAL IMPRESSO
14/06/2024
07/06/2024
31/05/2024
24/05/2024

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS