quinta, 20 de junho de 2024
Saúde
03/06/2024 | 14:33

Obesidade infantil: a conscientização começa em casa

 Os dados preocupam, pois segundo uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), em parceria com o Ministério da Saúde, uma em cada três crianças brasileiras entre cinco e nove anos está acima do peso. Com  essas informações, o Dia da Conscientização contra a Obesidade Infantil, no próximo 03 de junho,  é uma data importante para conscientizar a população a respeito dos cuidados necessários para o combate a essa doença. 
 
Segundo a médica Gabriela Lammel, que atua na área da nutrologia, no tratamento da obesidade, performance e estilo de vida, também membro da Associação Brusquense de Medicina, os pais devem ficar atentos e descrever para o médico da criança todas as alterações, seja em qualquer idade onde note que o peso esteja desproporcional a altura da criança. "Quanto mais cedo o diagnóstico, melhores chances de intervir com eficiência no quadro, já que o tratamento da obesidade infantil é particularmente difícil, pois é necessário tratar a mentalidade e o comportamento da família toda em relação a alimentação e estilo de vida, e não só da criança", alerta a médica. 
 
Ainda de acordo com a especialista, "o diagnóstico de obesidade pode ser feito a qualquer momento da infância, entretanto, a técnica utilizada é diferente daquela utilizada nos adultos. Na criança, além de calcular o IMC (índice de massa corporal) também precisamos colocá-lo em um gráfico - assim como aqueles gráficos que acompanham o crescimento, existe o gráfico do IMC ideal para cada idade". 
 
CAUSAS DA OBESIDADE INFANTIL 
Conforme explica a médica Gabriela Lammel, nas últimas décadas, pode-se destacar dois principais pontos muito importantes causadores da obesidade infantil, sendo o primeiro o alto consumo de produtos industrializados na alimentação do dia a dia das crianças e o alto consumo de açúcar de forma precoce. Entre esses produtos, pode-se mencionar como vilões os refrigerantes, as bolachas recheadas, os bolos prontos, salgadinhos, entre outros. Já o segundo ponto, está atribuído a mudança de comportamento na infância, tirando as brincadeiras, - como correr, andar de bicicleta, pega-pega, pique-esconde - pelo longo tempo na frente das telas. A escola também possui um papel importante neste processo, pois deve incentivar o consumo de alimentos saudáveis tanto nas refeições servidas aos estudantes, quanto no que é enviado de casa, pelos pais ou responsáveis.     
 
"O resultado não poderia ser diferente: nossas crianças estão consumindo mais calorias, calorias vazias, com poucos nutrientes, e gastando menos. O excesso de calorias (energia) então, acaba se acumulando na forma de gordura ao longo do tempo. A praticidade que os lanches prontos e as telas trazem para a vida dos pais é muito sedutora considerando todas as demandas do dia a dia e ao padrão de vida que temos hoje, onde ambos os pais trabalham fora e dispõem de pouco tempo para a rotina com os filhos", frisa. 
 
TRATAMENTO
O tratamento é baseado na mudança dos hábitos de alimentação da família, na inclusão destas crianças no esporte e exercícios físicos. Depois dos 12 anos de idade, já existem medicações que podem ser utilizadas para o tratamento da obesidade infantil, mas a prevenção deve começar cedo. 
 
"A prevenção da obesidade infantil começa antes mesmo da gestação da mãe, pois neste momento temos a oportunidade de fornecer o ambiente mais favorável possível para a concepção do bebê, mesmo que a genética seja desfavorável. Além disso, a amamentação tem um papel muito importante. É fundamental ressaltar que, antes dos 2 anos de idade não se deve oferecer açúcar de nenhuma forma para os bebês, isso certamente moldará o paladar e o metabolismo destas crianças para a infância toda. Como sempre digo: comida de verdade sempre vence! Refeições preparadas em casa sempre serão mais saudáveis do que aquelas compradas prontas. Preparar lanches em casa e oferecer frutas nos lanches já pode ser um excelente começo. Além disso, o incentivo a prática de atividade física e da brincadeira deve ser muito precoce, para prevenir e para tratar a obesidade infantil", exemplifica a médica
 
Regras que são seguidas pela família da corretora de imóveis, Lidiane Pedroso. Segundo ela, desde que eram pequenos, a família sempre procurou manter uma alimentação o mais saudável possível para os filhos Arthur e Bernardo. "Eu e meu esposo não incentivamos que eles bebessem refrigerante, por exemplo, e sempre  oferecemos suco. Os meninos gostam de arroz, feijão, carne e sempre procuro acrescentar alguma verdura. Eles também comem frutas e, por orientação da pediatra, troco as bolachas recheadas por bolos, que eu mesma faço", contou Lidiane.
 

JORNAL IMPRESSO
14/06/2024
07/06/2024
31/05/2024
24/05/2024

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS