segunda, 26 de fevereiro de 2024
Turismo
17/07/2023 | 10:48

Marejada 2023 não será realizada por falta de aprovação de projeto na Câmara

O Município de Itajaí, por meio da Secretaria de Turismo e Eventos, informa que a edição deste ano da Marejada, maior festividade da cidade, infelizmente, não será realizada. O cancelamento foi motivado pelo fato de a Câmara de Vereadores de Itajaí ter negado o pedido de urgência do Executivo e não ter votado até o recesso parlamentar o Projeto de Lei Ordinária 101/2023, de suplementação orçamentária - com recursos do Fundo Municipal de Turismo - necessário para a realização desta que é a maior festa do pescado do Brasil. A negativa inviabiliza a execução do tradicional evento, que gera empregos, impulsiona a economia e em 2022 teve a maior edição de sua história, com mais de 300 mil visitantes, impacto econômico de R$ 8,6 milhões em vendas diretas, sendo que mais de R$ 2 milhões retornaram ao Município.
 
O pedido de urgência foi negado na sessão da Câmara de Vereadores de quinta-feira (06). Após reunião com representantes do Itajaí Convention e Visitors Bureau, que explicaram a importância da realização da festa para uma série de profissionais, como cervejeiros, donos de restaurantes, artistas, artesãos e outros, os vereadores se comprometeram a recolocar o projeto em pauta na sessão do dia 13, mediante alguns esclarecimentos. Uma equipe da Secretaria de Turismo e Eventos compareceu à Câmara com todas as informações e documentos necessários, mas ainda assim o projeto não foi colocado em pauta.
 
O regime de urgência era fundamental para que o projeto fosse votado, aprovado e, em seguida, houvesse tempo hábil para licitar toda a operação da festa. Com a reprovação da urgência, com o recesso de duas semanas do Legislativo, de 18 a 31 de julho, fica impossível realizar os processos licitatórios e, consequentemente, a festa.
 
O projeto de suplementação em regime de urgência no valor de R$ 5 milhões foi encaminhado à Câmara de Vereadores porque ultrapassava o valor que o Município poderia executar por meio de decreto sem passar pelo Legislativo. Até o final do ano passado, esse percentual era de 20% do orçamento, mas foi reduzido para 5% pela Câmara.
 
Com a sinalização da Secretaria da Fazenda de que não seria possível liberar o recurso necessário por decreto, o projeto foi então encaminhado ao Legislativo. Os valores em questão eram provenientes de excesso de arrecadação do Fundo Municipal de Turismo.
 
“Estivemos conversando com todos os vereadores e estamos tristes com essa situação, uma vez que a Marejada é uma festa feita para o povo de Itajaí e movimenta muito a economia local. A nossa cidade é conhecida por este evento tão tradicional, que é inclusive destino de milhares de turistas em outubro. Além disso, é um evento que gera empregos, oportunidades e lucro para os operadores que participam da festa, profissionais da limpeza, artistas, artesãos, cervejarias artesanais e restaurantes”, enfatiza o secretário de Turismo e Eventos, Thiago Morastoni.
 
Festa gera empregos, movimenta a economia e o turismo
 
A Marejada 2022 foi a maior edição da história do evento, com um total de 300.724 visitantes. Com os pilares de sustentabilidade e inclusão, a maior festa do pescado do Brasil se tornou exemplo no país, conquistando prêmios nacionais e a aprovação do público, que cresce a cada edição. No ano passado, o evento teve impacto econômico de R$ 8,6 milhões em vendas diretas, sendo que mais de R$ 2 milhões retornaram ao Município.
 
A realização da Marejada também gera renda para artistas e artesãos locais, que exibem seu trabalho durante a programação. No ano passado, a festa recebeu 140 apresentações artísticas e envolveu 500 músicos da região.
 
A festa ainda colabora com a economia local e é lucrativa para operadores, restaurantes, cervejarias artesanais, entre outros setores que participam do evento. São gerados mais de 1.000 empregos temporários diretos em diversas áreas, como limpeza e atendimento ao público.
 
Além disso, o evento integra o calendário das festas de outubro de Santa Catarina e movimenta o turismo de toda região. Em 2021, quando a festa foi suspensa devido à pandemia, a ocupação hoteleira em outubro na cidade foi de 55,5%. Já no ano passado, com a realização da Marejada, a ocupação dos hotéis no período teve um incremento de 15% e foi de 63,8%. Esse aumento representa um faturamento bruto de mais de R$ 1,2 milhão para o setor nos dias do evento.
 
Fonte: Secom Itajaí

JORNAL IMPRESSO
23/02/2024
16/02/2024
09/02/2024
02/02/2024

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS