quinta, 08 de dezembro de 2022
Cultura
08/08/2022 | 08:48

Documentário retrata a história de Penha pela visão de quem ajudou a escrevê-la

A Fundação Municipal de Cultura de Penha Picucho Santos lançou no YouTube da Prefeitura de Penha o documentário dirigido por Dacio Bernacarpo: “Letras sobre o mar”. Produzido com recursos da Lei Aldir Blanc, através de edital lapidado pela Fundação em 2020, o vídeo conta “a história da cidade de Penha com o foco na maior referência da literatura local, sob o olhar de seus cidadãos mais antigos”, define o autor do projeto. O escritor Cláudio Bersi de Souza é a referência nas gravações.
 
ASSISTA AO DOCUMENTÁRIO: https://www.youtube.com/watch?v=tP3pdBEWalI
 
Além de Seu Cláudio, como é mais conhecido na cidade, contam a história local Waldemar Rodrigues Ferreira, Paulo Renato Freitas de Souza, Arnoldo Rodolfo da Silva e Teodoro João de Souza. “Escolhi o Seu Claudio pela referência que ele é na literatura local e estadual. Ao mesmo tempo que é reconhecido por muitos, infelizmente foge aos olhos de grande parte do público catarinense. Por isso eu e a equipe o escolhemos, para dar mais luz em alguém que precisa ser mais referência ainda”, explica Dacio.
 
Dacio, que dirigiu o documentário, pontua ainda que buscou uma “linguagem em essência expositivo, porém quis misturar um pouco de outras linguagens. Documentários performáticos e até poéticos dos anos 20 foram boas referências para mim. Tudo isso como recurso de dinamismo ou a ausência dele quando necessário, e o humor é claro que pra mim não pode faltar uma pitada nunca pra aquecer uma boa história”.
 
Para criar os quarenta e cinco minutos da história local, a equipe labutou muito. “A montagem exigiu muito da gente. Mais de cinco horas de material pra lapidar em um documentário de no máximo 30 minutos. Dias separando os ‘brutas’ em gráficos por pautas, depois encontrando a linguagem certa para contar a história e seguir a proposta do roteiro. Foi muito bom, mas deu muito trabalho para gente, em torno de 3 meses em cima do projeto”, recorda o diretor.
 
O documentário foi aprovado pela Comissão Municipal da Lei Aldir Blanc, por meio de edital criado pela Fundação em 2020, e recebeu porte de R$ 5 mil. “Esse é o grande objetivo da Aldir Blanc, dar aporte emergencial aos artistas durante a pandemia e manter viva a chama cultural e identitária das regiões. Esse documentário é a prova mais concreta disso”, frisa o superintendente da Fundação, Eduardo Bajara Souza.
 
Questionado sobre qual seria o grande objetivo do documentário, Dacio foi enfático: “perseverança, a perseverança de enfrentar todos os desafios da vida para realizar seus sonhos. Pode parecer clichê e é, mas quem assistir vai entender”. Dacio teve o aporte do produtor Fábio Policarpo, do diretor de fotografia, Marcelo Niess, da diretora de arte, Andréa Bernardino, da cenografia de Karina Bernardino e com a trilha sonora feita por Ricardo Pauletti.

JORNAL IMPRESSO
02/12/2022
25/11/2022
18/11/2022
11/11/2022

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS