sexta, 24 de setembro de 2021
Polícia
23/04/2021 | 10:17

CASO MARIANE: Marido arquitetou o crime. Amante dele e dois parentes a executaram com 27 facadas

A Polícia Civil cumpriu prisões expedidas pela Justiça na manhã de ontem, quinta-feira (22), relacionadas à investigação do homicídio de Mariane Quele dos Santos, 35 anos, que ocorreu em Itajaí e cujo corpo foi encontrado no Rio Itajaí-Açu em Navegantes no dia 9 deste mês.
 
Três prisões foram realizadas pela Polícia Civil de Itajaí, sendo duas no Estado de Pernambuco, estas por policiais civis da equipe da Denarc daquele Estado a partir da apuração da Polícia Civil catarinense, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Itajaí.
 
 Segundo a polícia, o marido de Mariane mandou matar esposa para ficar com amante e a casa.  A vizinha da vítima era amante do pastor e contratou o genro e um sobrinho de menor para executarem o crime. 
As informações foram reveladas em uma coletiva de imprensa, na tarde de ontem. Segundo o delegado regional de Itajaí, Marcio Colatto, foram 14 dias de investigações, que ainda não foram concluídas, pois o inquérito teve alguns desdobramentos. 
 
“Mariane foi morta de maneira cruel, com vários golpes de faca, sem condições de se defender, e depois amarrada e jogada no rio”, disse o Delegado da DIC, Sérgo de Souza.
 
O Crime
O crime, segundo a polícia, foi arquitetado pelo marido e pela amante. Para ter um hálibe, ele ficou em casa na companhia de um pedreiro, e disse à mulher que iria buscá-la no serviço. Mas quem foi pegar Mariane foi a amante, juntamente com o genro e o outro menor, que estavam no banco de trás do Corsa Sedam cinza escuro, que foi abandonado em Navegantes dias depois do crime. 
Em depoimento, a amante disse à polícia que Mariane não desconfiou de nada, já que eram amigas e de vez em quando ela também a buscava no trabalho. O veículo, também era usado pelo pastor. Esse carro está em nome do marido da amante, que encontra-se em Pernambuco, já se separando da mulher. Segundo a polícia não há indícios da participação dele no crime.
Assim que chegou no carro, Mariane entrou e já na saída foi esfaqueada no pescoço e no rosto pelo genro da amante que estava no banco de trás, junto com o outro menor.
Ferida, mas ainda viva, Mariane, segundo depoimento da amante, teria perguntado - “Por que?”. Naquele instante, vendo que ainda não estava morta, o genro da amante desferiu mais facadas na vítima, num total de 27, entre a região do rosto, pescoço e abdomen. 
Levaram o corpo dela para um lugar afastado em Navegantes, amarraram as mãos e pernas, e a jogaram no rio. Na cabeça deles, o fato de jogar no rio, faria que o corpo desaparecesse para sempre.
 
Teatro
Foi aí que o marido começou a fazer o teatro perante à sociedade e à polícia. Ligou, na frente do pedreiro para a esposa, dizendo-se preocupado com a demora dela, depois lavrou um boletim de ocorrência na polícia, dando conta do desaparecimento.
Mas o corpo apareceu no outro dia, no rio Itajaí Açu, encontrado por pescadores. A polícia começou então as investigações para saber as motivações do crime e os responsáveis.
 
Repercussão
O caso repercutiu na cidade de Itajaí muito mais do que o pastor imaginava. A publicidade dada ao caso, principalmente pelas circunstâncias cruéis da morte de Mariane, fez com que o casal de assassinos ficassem desesperados. 
Foi aí que o carro usado no crime foi abandonado, dias depois num matagal em Navegantes. A polícia descobriu que o carro estava em nome do marido da amante do pastor. Ao saber que o carro havia sido encontrado, a amante fugiu para Pernambuco, onde foi presa junto com o genro. O menor continua desaparecido.
Daí para frente foi só aprofundar mais as investigações, ouvir as pessoas, em torno de 15, comparar depoimentos e contrariedades ditas pelo pastor e a amante, que no final ela acabou confessando o crime e contou todos os detalhes para a polícia.
Ele, apesar do testemunho da amante, continua afirmando até agora para a polícia que não teve participação no crime, mas a polícia diz que já tem indícios suficientes para transformar a prisão temporária em preventiva.
VÍDEOS
Pandemia
24/09/2021 | 18:12
Itajaí amplia vacinação contra Covid-19 para adolescentes de 12 anos ou mais e dose de reforço para idosos de 70 anos ou mais
Geral
24/09/2021 | 18:10
Itajaí entrega chaves de novas residências para 19 famílias da Via Expressa Portuária
Política
24/09/2021 | 18:09
CPI das Máscaras escuta três testemunhas
Geral
24/09/2021 | 18:09
Acadêmicos de Turismo e Hotelaria da Univali são premiados no 16º Congresso Internacional de Turismo Religioso e Sustentável
Geral
24/09/2021 | 18:08
Delegacia de Pessoas Desaparecidas completa oito anos com 30 mil casos resolvidos
Geral
24/09/2021 | 18:07
Semana da Mobilidade: Governo quer incentivar o uso de transportes sustentáveis
Geral
24/09/2021 | 18:05
PMGPP/Univali promove 1º seminário de internacionalização da pesquisa
Política
24/09/2021 | 18:04
PT-SC realiza reunião do Diretório Estadual no sábado
Geral
24/09/2021 | 18:02
Balneário Camboriú participa do Playing For Change Day neste domingo
Geral
24/09/2021 | 10:35
Município de Itajaí e Univali devem entregar na próxima terça-feira, 28, estudo de contraproposta ao modelo apresentado pela União para privatização do Porto de Itajaí
Esportes
24/09/2021 | 10:34
Com catarinenses na briga pelo título e atletas de seis países, Taroii Juniors Cup larga neste sábado em Itajaí

JORNAL IMPRESSO
24/09/2021
17/09/2021
10/09/2021
03/09/2021

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS