segunda, 14 de junho de 2021
Geral
10/11/2017 | 15:48

SAMU fecha unidade de Balneário Camboriú e servidores anunciam greve

 
O SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) terá sua unidade de Balneário Camboriú desativada e os atendimentos na região que engloba os municípios de Piçarras, Penha, Navegantes, Ilhota, Itajaí, Balneário Camboriú, Camboriú, Itapema, Porto Belo e Bombinhas passam a ter sua regulação concentrada em Blumenau.
 
Com o fechamento da unidade o quadro de servidores será reduzido drasticamente, a logística dos atendimentos comprometida e as unidades destas cidades incorporadas ao Corpo de Bombeiros. O serviço é desenvolvido em Santa Catarina pela empresa Associação Paulistana para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), que tem convênio com a Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com o Ministério da Saúde e as secretarias municipais de saúde do Estado, macrorregionalmente.
 
Além da unidade de Balneário Camboriú, outras três unidades serão desativadas no Estado, caindo de oito para quatro o número de centrais de atendimento. O número de funcionários também deve cair dos atuais 1.075 para praticamente a metade, segundo fontes da unidade. A medida faz parte de pacote de contenção de despesas da Secretaria de Estado da Saúde, que em março deste ano havia informado que a pasta estudava a diminuição dos gastos na área da saúde por meio da redução no número das regionais, provocando críticas dos órgãos que atuam na saúde catarinense e dos usuários do serviço.
 
GREVE
 
Como tudo pode piorar, no início da tarde desta sexta-feira os funcionários do SAMU em SC discutiam a paralisação dos serviços, por atrasos nos vencimentos referentes ao mês de outubro. Os servidores informam que a SPDM não pagou os salários porque ainda não recebeu o repasse dos recursos do Governo do Estado. 
 
Para se ter uma ideia do tamanho do problema da Saúde no Estado, até agosto, segundo levantamento do Governo do Estado, a dívida da saúde estava em R$ 768 milhões. Os valores correspondem a R$ 568 milhões acumulados desde 2016 e mais R$ 200 milhões que a fazenda deixou de repassar para a secretaria de saúde.
 
CONTRAPONTO
 
A SPDM-Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina desconhece qualquer movimentação de greve dos funcionários do SAMU e esclarece que os repasses da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina, destinados a realização das folhas de pagamento, foram recebidos hoje após o expediente bancário. Assim, os créditos dos salários já estão sendo realizados nas contas dos profissionais nesta data, porém, em razão de questões burocráticas bancárias, os valores estarão disponíveis para todos os funcionários na segunda-feira, pela manhã.
 

JORNAL IMPRESSO
11/06/2021
04/06/2021
28/05/2021
21/05/2021

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS