quarta, 23 de junho de 2021
Geral
10/11/2015 | 11:55

CPI da Codetran realiza primeira acareação, mas sem consenso entre depoentes

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Codetran realizou a primeira acareação entre depoimentos na 10ª reunião, na tarde de segunda-feira. O empresário Júlio César Fernandes e o ex-secretário de Administração, Nelson Abrão de Souza, ficaram frente a frente durante o depoimento. A acareação foi solicitada devido a divergências encontradas nos depoimentos prestados à CPI.

A CPI da Codetran apura fatos investigados na Operação Parada Obrigatória II, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Itajaí. No mesmo encontro de acareação, o advogado João Jorge Fernandes falou aos membros da CPI.

Não houve consenso entre os depoentes durante as duas horas de reunião. Em depoimento, Júlio confirmou a conversa com Nelson sobre a instalação de um segundo pátio de veículos em Itajaí, em fevereiro de 2012. Já o ex-secretário nega as conversas com Júlio sobre o pátio.

O advogado João Jorge Fernandes, que faz a defesa de Júlio, falou como informante na CPI. Ele confirmou que Júlio fez o pagamento de vantagens indevidas ao coronel Castilho, presidente da Comissão de Leilões. Jorge ainda confirmou o pagamento dos salários de dois estagiários do Detran pelo período de um ano.

A CPI da Codetran intimou o depoimento de Fabrício de Souza Costa, mas o depoente não compareceu por causa de um compromisso. Ele se comprometeu a participar da próxima sessão. Na última reunião, vereadora Dulce Amaral (PSD) assumiu a vaga que anteriormente era de Venício Amorim (PSD) na CPI. 


JORNAL IMPRESSO
18/06/2021
11/06/2021
04/06/2021
28/05/2021

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS