sábado, 19 de junho de 2021
Geral
30/03/2012 | 16:36

Morastoni busca integrar ações da Comissão de Saúde da Alesc com a Campanha da Fraternidade

O Presidente da Comissão de Saúde da Alesc, deputado Volnei Morastoni (PT), participou nesta quinta-feira (29/03), da abertura da Campanha da Fraternidade, que este ano tem como tema “Que a saúde se difunda sobre a Terra”, das Paróquias Santo Antônio e Santa Maria Gorethi, na Coloninha, em Florianópolis.

Morastoni relatou aos moradores o trabalho que está sendo realizado na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa e convidou-os para participar da Audiência Pública que debaterá “O Custeio dos Hospitais de Santa Catarina que Atendem pelo SUS”, na próxima quarta-feira (04/04), a partir das 9 horas, na Alesc. A falta de recursos para custeio dos hospitais foi o maior problema levantado nas 21 Audiências realizadas pela Comissão de Saúde em 2011, em várias regiões do estado.

O deputado pediu o apoio da Igreja para a coleta de assinaturas para o projeto de lei de iniciativa popular, que propõe o investimento de 10% da receita bruta corrente da União na saúde pública. A iniciativa é da Frente Nacional por Mais Recursos para a Saúde, da qual Morastoni faz parte como representante da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (UNALE).  "O tema da campanha da fraternidade é propício e contribui para mobilizar a população. O apoio da igreja é fundamental nesta mobilização", argumentou.

Na sequência, Morastoni se reuniu com o Arcebispo de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönck, quando o convidou para participar da Audiência Pública sobre Custeio dos Hospitais e pediu o apoio da igreja na coleta de assinaturas para o projeto de iniciativa popular, em prol de mais recursos para o SUS. Dom Wilson manifestou interesse de participar destas ações e informou que, em virtude da Campanha da Fraternidade, a igreja definiu que irá participar mais ativamente do Conselho Estadual de Saúde, contribuir com atividades relativas ao custeio dos hospitais e ajudar na coleta de assinaturas do Projeto de iniciativa popular. "Só precisamos entrar em contato com a CNBB para que possamos seguir a mesma linha", disse o arcebispo.

Morastoni explicou que é preciso coletar 41 mil a assinaturas em Santa Catarina, 1% do eleitorado.  “A CNBB já está apoiando o movimento no âmbito nacional, tenho certeza que em Santa Catarina não será diferente”.


JORNAL IMPRESSO
18/06/2021
11/06/2021
04/06/2021
28/05/2021

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS