sábado, 19 de junho de 2021
Geral
16/03/2012 | 14:29

Política - por Hélio Rebello

AS MUDANÇAS EM BRASÍLIA: MUDA O QUÊ?

O deputado Cândido Vaccarezza, (PT-SP) deixou a liderança do governo na Câmara. A decisão foi comunicada ao parlamentar em reunião com a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto, sendo substituído por Arlindo Chinaglia (PT-SP).

O senador Romero Jucá (PMDB/RR) também deixou liderança do governo no Senado, sendo substituído por Eduardo Braga (PMDB/AM). O Planalto mandou um recado: é necessário fazer um rodízio entre os líderes. “Essa será a política a partir de agora”, afirmou.

Todo esse barulho também diz respeito às eleições municipais, porque passaram todo 2011 brigando por cargos e agora em 2012 é por vagas desse ou daquele apadrinhado, que os deputados precisam estar bem “nas bases” para assegurar reeleição, afinal é nos municípios que as coisas se ajeitam, então nada melhor que espernear, brigar, agitar e chorar para mamar, em Direito podemos chamar de: “JUS SPERNIANDI”

O governo acaba de perder sete votos no Senado. O líder do PR, senador Blairo Maggi (MT), comunicou nesta quarta-feira, 14, à ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, que a negociação com o governo está encerrada e que acabou o apoio automático do partido ao Planalto. Na realidade, o que acontece é que falta articulação política dentro do governo. A entrada de Ideli Salvatti e Gleisi Hoffmann pouco acrescentou no diálogo do governo com o Congresso. Sem articulação política nada sai do lugar, infelizmente o governo não sabe ou não quer fazer política. Ideli e Gleisi precisam fazer mais, muito mais.

ROBERTO CARLOS: APROVAÇÃO DE MAIS DE 54%

Recente pesquisa realizada pelo IPS/UNIVALI, aponta que, em consulta espontânea, o atual prefeito de Navegantes, Roberto Carlos de Souza (PSDB), receberia, se a eleição fosse hoje, 54,52% dos votos. O índice de votos brancos, nulos, indecisos e que não responderam, soma 35,97%. A soma de todos os demais candidatos citados alcançaria pouco mais de 9% dos votos. O levantamento demonstrou, ainda, que o índice de aprovação do desempenho do atual prefeito é de 80,03% e sua rejeição chega a 14,90%.

Roberto Carlos vem pavimentando sua reeleição com bastante cuidado e extrema habilidade política. Ao final do ano passado, sua maior cartada foi trazer Joãozinho Mattos para seu lado, conquistou a maioria na Câmara de vereadores e desde então vem contabilizando bons resultados. Talvez Roberto Carlos seja o maior nome do PSDB na região e isto o credenciará a discutir dentro do partido os rumos nas eleições para o governo do Estado e/ou uma certeza para sair como candidato a deputado em que esfera quiser. Em relação à pesquisa, ela está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob nº SC-00003/2012 e traz como código de autenticidade do registro o nº 8315.9DB1.EADC.E6C2 e  pode ser conferido pelo www.univali.br/ips - Link: Banco de Informações.

BALNEÁRIO CAMBORIÚ: PSD SE REÚNE

O Partido Social Democrático (PSD) vai definir até final deste mês de março o nome que será lançado como candidato a prefeito pela sigla. Houve um encontro com lideranças do partido na semana passada e contou com a presença do presidente da ALESC Gelson Merísio e também do deputado estadual Jean Kuhlmann. Os principais postulantes ao cargo são os vereadores Dão Koedermann e Claudir Maciel.

PP DIVULGA NOMINATA A VEREADOR

Na última sexta-feira, o Partido Progressista (PP), partido do prefeito Bellini, divulgou à imprensa a nominata dos candidatos a vereador pela sigla.

Dos 40 nomes divulgados, pelo menos uns doze já fizeram parte da Câmara, ou como vereador eleito, ou como suplente, o que importa é que são pessoas que têm qualidade, conhecimento e chances reais de voltarem a ocupar as cadeiras do parlamento municipal.

O PP tem como meta a reeleição de Jandir e nada melhor que lançar nomes a vereador que possam somar para que este intento seja conquistado e por sua vez Jandir, caso consiga a reeleição, possa contar com nomes de confiança e importância dentro da Câmara ou trazê-los para futuras secretarias. É uma parceria que se inicia com fortes chances de se consolidar em 07 de outubro.

CAIU MAIS UM MINISTRO

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, saiu do governo na sexta passada e em seu lugar foi chamado Pepe Vargas (PT/RS). Florence (PT/BA) voltará para a Câmara dos Deputados. Na realidade, Florence era considerado apagado demais e não conseguiu manter boa relação com os setores ligados à reforma agrária.

Apesar dos elogios da presidente na nota à imprensa, o desempenho de Florence no Ministério do Desenvolvimento Agrário não agradava ao Planalto.

MÊS DE MARÇO NÃO É SÓ POESIA

Como dizia o poeta, é no mês de março que suas águas fecham o verão, porém, não encontramos só poesia neste mês. Percebam que é em março que nós trabalhadores damos um dia do nosso trabalho para engordar os cofres dos Sindicatos, seja qual for a categoria que és vinculado, tua grana vai pro cofre deles. Pergunto:

1 – Algum Sindicato veio a público prestar contas do que foi arrecadado e como foi aplicado seu/nosso dinheiro?

2 – Como os Sindicatos gastam seu/nosso dinheiro? É canalizado pra onde?

DEFENSORIA PÚBLICA EM SC

Já tramita na Assembleia o projeto que cria a Defensoria Pública de Santa Catarina. A matéria deverá ser analisada com um novo componente: os ministros do STF decidiram, nesta quarta, que a existência da Defensoria Dativa, modelo em que o Estado garantia um advogado para atender o indivíduo sem condições de pagar um profissional, é inconstitucional.

TUCANOS: DADO CHEREM EM APUROS

O deputado Dado Cherem (PSDB) está com bens bloqueados pela Justiça. Tudo acontece por conta de uma ação do Ministério Público, quando Cherem era secretário de Estado da Saúde, e houve contratação de laboratórios para análises clínicas sem a devida licitação. Para a Justiça o que houve foi improbidade administrativa.

PROFESSORES: A LUTA CONTINUA

A paralisação de professores das redes públicas estaduais e municipais de todo o país atingiu 24 unidades da federação nesta quarta-feira (14). Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), o objetivo é exigir que os governos cumpram a lei que instituiu o piso salarial nacional para a categoria em R$ 1.451,00 para docentes em início de carreira e com carga horária de 40 horas semanais. Segundo a CNTE, 23 estados e o Distrito Federal concordaram em suspender as aulas durante a paralisação. Os três estados que não foram afetados pelo movimento nesta quarta-feira são Espírito Santo, Rio de Janeiro e Santa Catarina.


JORNAL IMPRESSO
18/06/2021
11/06/2021
04/06/2021
28/05/2021

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS