sexta, 18 de junho de 2021
Geral
14/03/2012 | 15:35

A IMPORTÂNCIA DE EDINO - por Luiz Henrique da Silveira

Neste sábado, o Brasil, e os catarinenses em especial, comemoram os 84 anos de nascimento de um dos mais respeitados músicos brasileiros, compositor respeitado internacionalmente, com uma vida inteira dedicada à música, o brusquense Edino Krieger.

A família Krieger dava o tom da música na Brusque dos anos trinta e quarenta. Em 1934, nos tempos do cinema mudo, a “Jazz Band América” animava as exibições dos filmes com trilhas melódicas. Eram dez músicos, cinco de sobrenome Krieger e os outros cinco, Diegoli. À frente de todos, com talento raro, sobrepairava a figura de Aldo (ou Aldinho) Krieger. O curioso é que, apesar do nome da banda, eles faziam até música de carnaval.

Edino era apenas um garotinho de um ano de idade, que mal sabia o quanto aqueles momentos influenciariam nas suas escolhas.

“As minhas primeiras lembranças musicais são dos ensaios do jazz band na alfaiataria do meu avô. Eles afastavam as máquinas de costura e botavam para quebrar”, lembra Edino. Fora da época carnavalesca, Aldinho se reunia com o mesmo time de músicos num boteco qualquer e ali eles preparavam as serenatas para as namoradas. O repertório variava entre polcas, valsas e choros cariocas de Ernesto Nazareth e Chiquinha Gonzaga, que encantavam Aldo desde a adolescência. “A última seresta era na porta de casa, para amaciar a minha mãe, que recebia todos com cafezinho às cinco da manhã”.

Descendente de alemães e italianos pelo lado paterno, e de portugueses e índios pelo lado materno, pode-se dizer que Edino Krieger é uma síntese da “raça Catarina”, pois reúne em si os quatro pilares básicos da formação da nossa gente. Os frutos dessa bem-aventurada miscigenação puderam ser ouvidos quando da visita do Papa João Paulo II ao Rio de Janeiro, em 1997, na apresentação do “Te Deum puerorum Brasiliae”, peça para coro infantil e juvenil em que ele fundiu os três sistemas modais que mais contribuíram para a formação da cultura musical brasileira: cantos gregorianos, regionalistas e indígenas.

Aos 9 anos, esse expoente musical de nossa terra já se apresentava em várias cidades de Santa Catarina como virtuose. Era o menino prodígio de Brusque.

Mesmo radicado no Rio de Janeiro desde os 15 anos, Edino jamais esqueceu seu torrão natal. Composta em novembro de 2005, por encomenda da Camerata Florianópolis, a composição "Quatro Imagens de Santa Catarina" tem a forma de uma suíte de caráter pitoresco, em que cada um dos quatro movimentos procura representar musicalmente um aspecto de cada uma das quatro cidades catarinenses escolhidas: Brusque, Blumenau, São Joaquim e Florianópolis.

No final do ano passado, em sessão solene do Conselho Universitário, a Universidade Federal de Santa Catarina outorgou-lhe, merecidamente, o título de Doutor Honoris Causa.

Por Luiz Henrique da Silveira – Senador da República


JORNAL IMPRESSO
11/06/2021
04/06/2021
28/05/2021
21/05/2021

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS