sábado, 19 de junho de 2021
Geral
02/03/2012 | 14:59

Ações educativas e repressivas para conter farra do boi em 2012

Foi assinado na quarta-feira (29/02) protocolo de cooperação com objetivo de promover ações educativas e intensificar a fiscalização e a repressão à farra do boi em Santa Catarina. Assinaram o documento representantes do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, Secretarias de Desenvolvimento Regional da Grande Florianópolis e de Itajaí, CIDASC, Ibama e Instituto Ambiental ECOSUL.

De acordo com o Coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (CME) do MPSC, Promotor de Justiça Júlio Fumo Fernandes, o objetivo das ações educativas é esclarecer à sociedade catarinense, especialmente nas cidades litorâneas onde a prática é mais comum, que a farra do boi, apesar de apresentar-se como uma tradição, é um crime. "O Protocolo de Cooperação assinado na última quarta-feira alberga basicamente duas vertentes de atuação: preventiva e repressiva. Assim, serão fortalecidas as ações de cunho educacional, sem prejuízo de identificar e punir na esfera criminal o farrista e as pessoas colaboradoras. Não há mais espaço numa sociedade humanitária para crueldades e bárbarie", complementa o Coordenador do CME.

Na próxima terça-feira (06/03) representantes das entidades que integram o termo de cooperação se reúnem novamente, para traçar as estratégias de atuação. Entre as ações previstas estão palestras e concurso de redação nas escolas dos municípios das regiões de Itajaí e Grande Florianópolis e campanha para orientar a população de que a farra do boi é crime. Também serão intensificadas, durante o período da Quaresma, as operações de fiscalização, que deverão ocorrer de forma integrada entre os signatários do documento.



JORNAL IMPRESSO
18/06/2021
11/06/2021
04/06/2021
28/05/2021

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS