domingo, 16 de junho de 2024
Política
Volnei Morastoni, Níkolas Reis e Davi Coelho | Foto: Ruca Souza
03/02/2012 | 16:33

Níkolas Reis é oficializado pré-candidato do PT

Na tarde da última segunda-feira, 30, o deputado Volnei Morastoni e o vereador Níkolas Reis realizaram coletiva de imprensa para apresentar a pré-candidatura do Partido dos Trabalhadores à prefeitura de Itajaí. O encontro ocorreu na sede municipal do partido e também foi transmitido ao vivo pela internet. Também presente na coletiva, o presidente do partido, Davi Coelho, que iria se retirar do cargo por motivos pessoais, anunciou que permanecerá no diretório para as eleições.

O encontro, além do caráter oficial, foi também descontraído. Davi Coelho iniciou a coletiva dando boas vindas aos presentes e confidenciando que, pela primeira vez, o diretório serviria café da tarde, o que ocasionou a risada geral. Em seguida, Coelho passou a palavra para o deputado estadual Volnei Morastoni. Volnei explicou que o encontro serviria paradar uma satisfação sobre os primeiros passos das eleições desse ano. “O PT é um partido que já tem o seu lugar cativo em Itajaí”, afirmou.

 

Trajetória do partido
Durante o encontro, Volnei relembrou com nostalgia dos primeiros anos do PT, na década de 80.“Para a Presidência da República, o Lula foi candidato quatro vezes até se eleger. Nós fomos candidatos a prefeito do PT cinco vezes para nos eleger. Isso na história passada...”. Nesse momento, o riso do público veio novamente à tona, pois os presentes logo relacionaram a história à candidatura de Níkolas Reis. Também rindo, Volnei completou: “Não vai ser com certeza a história do Níkolas no PT. Estou falando da história do partido, nós tivemos que abrir o caminho”, completou Morastoni. Em seguida, reafirmou o vereador Níkolas Reis como pré-candidato à prefeitura de Itajaí pela sigla. Segundo Volnei, o município é politicamente tradicionalista, porém também tem uma bela história com a esquerda.

 

Retirada estratégica
Volnei Morastoni explicou que sua decisão de não a concorrer à Prefeitura de Itajaí se deu por conta de querer fazer um trabalho completo como deputado estadual. “Esse é meu quarto mandato e é a primeira vez que eu estou conseguindo realmente exercer um mandato de forma mais ampla”, disse. O presidente do Partido dos Trabalhadores em Itajaí, Davi Coelho, argumentou ainda que a presença de Morastoni como deputado é fundamental para o PT estadual, para ajudar a consolidar a legenda no Estado.

Perguntado se havia algum tipo de estafa ou mágoa em função da derrota nas eleições municipais passadas, Volnei apenas respondeu “não”, descendo os olhos para as mãos que apoiava na mesa. Depois de um silêncio um tanto constrangedor que se seguiu da resposta, algumas pessoas na sala riram, tentando descontrair. “Eu era um deputado só de Itajaí”, argumentou. “Antes, Navegantes reclamava porque eu não atravessava para o outro lado, Balneário reclamava porque eu não ia lá. Eu só estou conseguindo fazer o trabalho que estou fazendo como deputado porque eu não sou candidato a prefeito de Itajaí. Se eu fosse candidato, já desde o ano passado estava voltado para Itajaí e, com certeza, ficava somente aqui”, completou Morastoni.

 

Reciclagem
Com tristeza no tom de voz, Morastoni confidenciou: “Lógico que eu queria ser reeleito. Se eu tivesse sido reeleito a história seria diferente. Uma vez que eu não fui reeleito, era até natural que eu pretendesse ser candidato a prefeito novamente. De 2009 para 2010, eu pensava em ser candidato”. Porém, explicou o deputado, com sua eleição para deputado estadual, tomou a decisão de completar o mandato. Outro motivo seria permitir a reciclagem e dar espaço para novas lideranças no âmbito do município.

 

Novos desafios
Para o vereador e pré-candidato do PT, Níkolas Reis, seu desafio se inicia a partir do momento em que naquele discurso, durante a coletiva, sua fala sucedia a de Volnei Morastoni. “E pretendo sucedê-lo na Prefeitura Municipal”, diz Reis. Ele contou que, para ele, Volnei seria seu candidato natural a prefeito. “Então eu fui chamado à essa responsabilidade. Eu encaro a responsabilidade de assumir esse papel de pré-candidato, de coordenar junto a executiva do partido a construção do plano de governo que já se iniciou aqui nessa casa, mas também já tomou as ruas e localidades de Itajaí”, afirmou o vereador.

 

Alianças partidárias
Segundo Níkolas Reis, alguns diálogos já estão sendo travados quanto às alianças partidárias para o pleito deste ano. “Já começamos isso de uma maneira muito prematura, com diversos partidos, desde aqueles historicamente aliados, como o PCdoB, até aqueles mais difíceis de conversar, como o PSDB”, revelou. Ele diz que o único partido com quem o PT não se coliga em Itajaí é o PP.

Perguntado se aceitaria sair de vice, Níkolas disse que “o discurso do PT diz que ‘sim, aceitamos’, mas acho muito improvável essa hipótese”. Davi Coelho afirmou que a verdadeira pretensão é ser cabeça de chave.

Deodato Casas (PSDB), que também é pré-candidato a prefeito por seu partido, disse que as conversas da aliança com o PT já estão bastante encaminhadas. “Há grande possibilidade de eu e o Níkolas estarmos juntos. Só não sabemos ainda quem seria o cabeça de chave, isso vemos na pesquisa”, relatou. O presidente da Câmara de Vereadores de Itajaí, Luiz Carlos Pissetti, também foi consultado pela reportagem sobre o assunto, mas não quis opinar.

Ainda para Níkolas Reis, não interessa apenas ao PT retomar a prefeitura, mas também fazer uma grande bancada nas eleições proporcionais. Davi Coelho afirmou que a nominata de pré-candidatos a vereadores deste ano, que já conta com 40 participantes, é a melhor nominata que o Partido dos Trabalhadores já teve. Entre os nomes, está Thiago Morastoni, que quer seguir os passos do pai, Volnei Morastoni, na política.


JORNAL IMPRESSO
14/06/2024
07/06/2024
31/05/2024
24/05/2024

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS