sexta, 07 de agosto de 2020
13/07/2020 - 17:23

Thiago Monteiro conquista o Challenge Taroii ADK Tennis, Desafio dos Atletas ADK Tennis, em Itajaí (SC)

Desafio foi realizado no final de semana na ADK Tennis, no Itamirim Clube de Campo, em Itajaí (SC), com oito atletas do masculino. Igor Marcondes foi o vice-campeão com Orlando Luz em terceiro e João Menezes em quarto. Centro de Treinamento recebe vá

Foto: Thiago Monteiro com Igor Marcondes antes da final mais Igor Marcondes com João Menezes e Orlando Luz com Monteiro/ Crédito: Divulgação ADK Tennis

 

Thiago Monteiro, número 82 do mundo e primeiro do Brasil, conquistou, neste final de semana, o título do Challenge Taroii ADK, desafio interno com oito atletas do masculino na ADK Tennis, situada no Itamirim Clube de Campo, em Itajaí (SC).  A equipe concentra três do top 10 do masculino do tênis nacional e conta com parceria com a Confederação Brasileira de Tênis.

 

Thiago Monteiro superou a fase de grupos Orlando Luz, João Sorgi e Daniel Dutra Silva e na final passou com 4/3 (7/4) 4/2 sobre Igor Marcondes. O desafio interno dos atletas da ADK Tennis/Itamirim Clube de Campo, que teve premiação total de R$ 4 mil, classificou os dois melhores de cada chave para a final e foi jogado em sets curtos de quatro games com tie-break normal no empate de 3 a 3.

 

"Foi um desafio interno bem bacana, isso motiva bastante o pessoal que já está treinando há tanto tempo aqui em Santa Catarina no Itamirim na ADK Tennis. Só tenho a agradecer a CBT por me proporcionar vir aqui treinar esses dias e poder jogar e competir com o pessoal aqui em jogos-treinos, um desafio a mais que ajuda a ficar no ritmo de competitividade para a retomada do circuito de for confirmada", disse Monteiro que está treinando com a ADK Tennis/Itamirim Clube de Campo desde o meio de junho.

 

"Estamos na expectativa do retorno, os treinos estão muito bons, estrutura e ambientes fantásticos, aos poucos retornando ao ritmo que estava antes.  Faltam os jogos, por isso esse desafio com os atletas que estão aqui é importante. Mas me sinto mais confiante, maduro, me saindo uma pessoa melhor por conta de tudo que está acontecendo, tomando todos os cuidados e espero que a gente consiga retomar ainda esse ano o tênis mundial". 

 

 

Igor Marcondes comemorou o bom desempenho onde superou o terceiro do Brasil no ranking mundial, João Menezes, 185 colocado: "Foi bacana, nunca tinha jogado um desafio interno assim em formato de grupos, mesmo perdendo um jogo você ainda tem chances de classificar. Eram dois grupos duros, não tinha por onde escapar, perdi do Felipe Meligeni no primeiro jogo e me deu uma pressão nos seguintes. Fiz dois bons jogos depois, o último do grupo contra o Menezes me classificando no desempate de games", disse o tenista que após a derrota na estreia,  bateu João Victor Loureiro na segunda rodada e na rodada final da primeira fase derrotou Menezes em dois tie-breaks com 4/3 4/3: "Na final contra o número 1 do Brasil desfrutei o máximo, joguei bem, consegui sacar bem, fui bem de fundo, apesar da derrota, foi uma partida e experiência muito boa"

 

Orlando Luz, ex-número 1 do mundo juvenil, 301 do mundo e sétimo do Brasil, foi o terceiro colocado no Challenge Taroii ADK superando Menezes: "Foi muito legal poder competir um pouquinho. Estamos treinando há muitas semanas, mesmo fazendo alguns jogos não é a mesma coisa, você sente um pouco mais quando se fala que é competição, já pensa de um jeito diferente. Acabei só perdendo no desafio interno para o Monteiro (4/3 4/2), bem legal a experiência, muito bom jogar contra um top 100, não é todo dia que temos essa experiência, podemos evoluir muito. Jogar na quadra rápida é sempre bom, estou evoluindo muito. Legal que temos bons jogadores aqui para fazer isso".

 

Campeão Pan-Americano em Lima, no Peru, e por enquanto único brasileiro com vaga assegurada na Olimpíada de Tóquio, no Japão, em julho de 2021, João Menezes comentou: "Traz as sensações de um torneio de verdade, o que é muito bom. Por mais que joguemos nos treinos, quando se faz um torneio-treino a sensação é diferente, você quer ganhar, tem o medo de errar, tem tudo, é o mais próximo que conseguimos fazer de um torneio valendo pontos do circuito. É sensacional, deveria ter esse Desafio todo final de semana".

 

Patrício Arnold, coordenador da ADK Tennis/Itamirim Clube de Campo, comemorou a realização do Challenge Taroii ADK e destacou a importância: "Foram dois dias intenso de um desafio entre eles, poderem voltar a competir internamente e sentir aquele frio na barriga que é o mais próximo de um torneio do circuito que temos. Um ambiente saudável e de alto nível e o sistema de formato de grupos com sets curtos foi o ideal para cada um poder fazer mais que uma partida, pegar ritmo de jogo para em breve voltar ao circuito mundial previsto para agosto", disse Patrício, natural de Buenos Aires, na Argentina, radicado em Itajaí (SC): "Acho fundamental essa parceria com a CBT tornando a ADK Tennis/Itamirim Clube de Campo um polo do tênis brasileiro com vários dos melhores do país treinando e jogando esse desafio entre si. Temos muito isso na Argentina, ajuda na evolução deles mesmos não só treinarem, mas competirem entre si em desafios internos como foi o Challenge Taroii ADK".

 

O desafio interno Challenge Taroii ADK contou com todas as regras de decreto estadual de Santa Catarina como uso de máscaras, álcool gel, distanciamento dos atletas, que fizeram cumprimentos apenas com a raquete ao fim dos jogos.  

 

Retorno do circuito masculino da ATP

 

Os atletas que treinam na ADK Tennis/Itamirim Clube de Campo em parceria com a CBT também comentaram sobre o retorno do circuito masculino programado para 17 de agosto. Todos foram unânimes em afirmar a expectativa e questões de logística. Por enquanto o Brasil está com fronteiras fechadas com os Estados Unidos e Europa, os dois locais com eventos marcados de ATPs e eventos médio porte dos challengers.

 

Monteiro tem programado competir nos ATPs de Washington, Cincinnati e o US Open a partir de 17 de agosto, mas ainda aguarda confirmação. 

 

"Temos essa questão das fronteiras, a ATP está tentando providenciar autorização para ir aos Estados Unidos e Europa, mas com os casos aumentando nos EUA já não sei como proceder. Acredito que em uma semana ou duas já devem ter um posicionamento, depende da segurança e agora com o formato do ranking divulgado, não sei se as estrelas que ajudam o torneio a acontecer estão a favor da realização do torneio do US Open, é algo que precisamos esperar, então estou na expectativa. Pra mim seria importante disputar esses torneios por estar parado há um bom tempo, questão financeira de poder bancar a equipe, meus treinadores, preparador física. Sem entrada financeira fica complicado de manter. E também fica complicado fazer calendário. Tem ainda um certo receio, não da organização do torneio, mas sim outras coisas como abertura de fronteiras, ter ou não que fazer quarentena".

 

Menezes também aguarda ansioso pela resolução das barreiras sanitárias para poder disputar os eventos challenger que teve calendário divulgado há pouco mais de uma semana com eventos em território americano e na Europa. 

 

."Liberaram o calendário dos challengers, mas não conseguimos viajar por conta das barreiras sanitárias. Não consigo viajar para nenhum torneio seja EUA ou Europa hoje. A ATP está tentando solucionar isso, mas também existe uma possibilidade de começar o calendário e que não possamos viajar. Isso é real. Temos que ficar no aguardo", disse Menezes: "A intenção da ATP de travar o ranking protege quem não vai poder viajar e temos que entender que o esporte precisa ir voltando aos poucos. Se for esperar condições ideais para todo mundo voltar como era antes, será complicado. Sempre terá um lugar melhor, outro pior, um ou outro que não poderá viajar e aí ficamos na dependência da vacina e não sabemos quando ela vai sair".

 

Orlandinho está na mesma situação de Menezes: "Tenho receio de retornar. Uma chave com 32, 48 jogadores, o que seja, todos vão passar por aeroportos, é muito fácil de ser contaminado, então não sei quais seriam as medidas com jogador positivo, não sei quais serão as medidas, se cancela o torneio, ou só o jogador é desclassificado. Vejo muito difícil voltarem os torneios, mas se voltarem, vejo complicado para nós brasileiros uma vez que não podemos viajar para Europa e EUA. Essa volta não está nos beneficiando em nada na questão saúde e nem para nós brasileiros que por enquanto não poderíamos voltar e não teríamos a chance de subir no ranking. Mesmo travado o ranking sem perder pontos, não teríamos a chance de subir", afirmou o gaúcho de Carazinho: "Se voltasse agora em agosto e pudesse voltar, eu viajaria obviamente, teria que voltar para fazer resultados. Vamos ver o que acontece. Espero que eles (entidades) dêem um jeito, com alguma carta para nos autorizar, algo assim".

 

A  ADK Tennis/Itamirim Clube de Campo está também com três das dez melhores do país na parceria com a Confederação Brasileira do Tênis com Beatriz Haddad Maia, ex-top 60 mundial que derrotou a campeã de Wimbledon, Garbiñe Muguruza, em julho do ano passado, Carol Meligeni e Ingrid Martins que seguem seus treinamentos e aguardam o retorno do circuito feminino para agosto.

 

A equipe ADK Tennis/Itamirim Clube de Campo conta com o patrocínio da Taroii Group e Promenac Veiculos, os co-patrocínios da EGA Logistica/Unimed Litoral /Fort Atacadista e parcerias da FMEL - Fundação Municipal de Esporte e Lazer Itajaí, Confederação Brasileira de Tênis e Federação Catarinense de Tênis

anuncie no Jornal | comunicar erro | fale conosco
Todos os direitos reservados - 2009-2015 Jornal dos Bairros