sexta, 21 de fevereiro de 2020
19/08/2019 - 17:12

Consumidores vão começar a sentir no bolso o aumento do ICMS em Santa Catarina

Alíquota do imposto da carne chega a 12%. Tributação também aumenta preço do botijão de gás, garrafas d’água e tipos de pães, queijos e peixes

O aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em Santa Catarina vai pesar no bolso dos consumidores. Carnes de frango e porco, gás de cozinha, água mineral e derivados do leite como iogurtes e creme de leite estão na lista dos produtos que sofreram aumento do imposto. De maneira geral, frutas, leite e até mesmo os produtos da cesta básica que não tiveram aumento direto, terão seus preços impactados pela retirada da isenção fiscal dos agrotóxicos, que agora serão taxados em 17%.

 

?Independentemente da política fiscal do governo que está gerando discussões, o fato é que o aumento do ICMS vai pesar no bolso do consumidor. Como nossa maior taxação é pelo consumo, mais uma vez quem será impactado são os trabalhadores com menor renda já que o aumento de centavos em um produto atinge o orçamento mensal de maneira mais forte para quem ganha menos?, explicou o economista Alex Sandro Fidelis Maciel, do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBGPT). Segundo ele, além dos agrotóxicos, que reflete no valor dos hortifrutigranjeiros presentes na cesta básica e na produção de trigo, soja e milho, o aumento no botijão de gás também será um vilão para o bolso de quem cozinha em casa. ?Um botijão que normalmente dura cerca de 15 dias, passou a custar R$ 4 a mais em algumas distribuidoras. É um impacto e tanto no orçamento de quem recebe um salário mínimo, por exemplo?, compartilha Alex.


O aumento na alíquota do ICMS em Santa Catarina, que está valendo desde o dia 1º de agosto, faz parte do pacote do Governo do Estado que deve reduzir até 2022 os incentivos fiscais de 25% para 16%, em obediência à Lei de Diretrizes Orçamentárias aprovada pela Assembleia Legislativa. Com a alteração, carnes de aves e suínos tiveram aumento de 7% para 12%. Os itens com aumento de 12% nos impostos são alguns tipos de peixes, banha de porco prensada, erva mate beneficiada, queijos prato e mussarela, sardinha em lata e pães especiais -  com exceção do francês. As garrafas de água mineral até 20 litros, com ou sem gás; leite em pó; misturas para preparação de pães e atum em lata tiveram alteração de 17%.

?No Brasil, a maior taxação está no consumo. Enquanto continuarmos fazendo isso, vamos tirar o poder de compra dos mais pobres e dos que ganham menos, além de afetar a inflação e reduzir a velocidade da roda da economia?, fecha o economista.

 

Fotos: Melissa Bergonsi

Sexta, 21 de fevereiro de 2020
Dada a largada para o Carnaval de BC
Sexta, 21 de fevereiro de 2020
Nelson Abrão se filia no Progressistas
Sexta, 21 de fevereiro de 2020
MS Marina atraca no Porto do Rio Grande
anuncie no Jornal | comunicar erro | fale conosco
Todos os direitos reservados - 2009-2015 Jornal dos Bairros