quarta, 12 de agosto de 2020
02/06/2010 - 00:00
CRÉDITO DAS FOTOS: BASILIO RUY (OAKLEY)

Jessé Mendes faz a melhor estreia no Oakley Pro Junior 2010 em Florianópolis

 

            O mar continuou difícil na quarta-feira, amanheceu com ressaca, correnteza forte, ondas de 4-6 pés e com muito frio na Praia da Joaquina. O Oakley Pro Junior decide o título brasileiro profissional da categoria Sub-20 nesta semana em Florianópolis e as principais estrelas começaram a se apresentar no segundo dia. A melhor estreia dos cabeças de chave foi a do paulista Jessé Mendes, que estabeleceu novos recordes de nota ? 9,0 ? e placar ? 15,33 pontos ? do campeonato que prossegue até domingo na Ilha de Santa Catarina.

 

 

 

?Está difícil o mar e não dá para desperdiçar tempo em ondas pequenas, tem que achar as melhores da série para conseguir boas notas. Entrei focado nisso e consegui achar uma direita boa logo no início meio balançada, mas eu estava com a base firme para fazer as manobras e a nota saiu, então estou feliz por fazer os recordes do campeonato?, disse Jessé Mendes, cabeça de chave número 2 do Oakley Pro Junior 2010.

 

 

 

?É muito bom começar bem, dá mais confiança para o restante do campeonato e quero tentar fazer melhor do que no ano passado. Lá no Atalaia (em Itajaí-SC) eu também fui bem, só perdi para o campeão (Alejo Muniz) na semifinal, sempre tirando notas boas nas baterias. Aqui eu entrei bem confiante na bateria, esperava mesmo tirar um high-score (nota alta), então estou feliz que deu certo o que planejei?, falou Jessé.

 

 

 

O recordista absoluto do Oakley Pro Junior 2010 saiu do mar e entrou o cabeça de chave número 1, o também paulista Miguel Pupo, que está invicto com duas vitórias na categoria Sub-20 no Brasil esse ano. Ele venceu as duas seletivas sul-americanas para o Mundial Pro Junior da ASP e quer o título brasileiro que lhe escapou nas duas únicas edições do Brasileiro Pro Junior. Em ambas, Miguel parou nas semifinais.

 

 

 

?Bateria difícil, peguei duas ondas na casa dos 6 pontos no começo, depois o Ítalo (Ferreira) fez um 7,5 e aí procurei não marcar ele, mas proteger as direitas, já que ele é de BF (Baía Formosa-RN), um pico de direitas, ele surfa muito bem de backside (de costas para as ondas), então busquei mesmo proteger aquelas direitas para não deixar ele virar em cima de mim?, contou Miguel, um dos atletas patrocinados pela Oakley.

 

 

 

 

?Até estava tranqüilo na bateria, porque neste formato você tem a repescagem caso não passe em primeiro nessa fase, então o importante para mim hoje era sentir o mar para se adaptar as condições. Bom que venci, passei direto para a terceira fase e o primeiro passo para o título já foi dado. Estou invicto no Pro Junior esse ano aqui no Brasil, então espero continuar assim vencendo aqui também?, deseja Miguel Pupo.

 

 

 

Os principais cabeças de chave do Oakley Pro Junior 2010 estrearam na oitava e nona baterias da fase inicial, mas os perdedores ainda têm uma nova chance de classificação na repescagem do campeonato, que é disputado com o mesmo formato utilizado nas etapas do ASP World Tour. A primeira passagem direta para a terceira fase foi conquistada pelo catarinense Julio Terres na bateria que derrubou todos os recordes do primeiro dia na Praia da Joaquina. O cabeça de chave Caio Ibelli aumentou o de nota para 7,17, marca que logo foi batida por Julio Terres, que confirmou a vitória com uma nota 7,50 no placar de 12,00 pontos.

 

 

 

?Estou feliz porque consegui pegar uma onda boa para ganhar de um dos grandes nomes do Brasil na atualidade, o Caio Ibelli?, vibrou Julio Terres. ?Foi boa a bateria, pois nós conseguimos notas de 7 pontos, as maiores do campeonato até agora. A minha foi um pouquinho melhor e garantiu a vitória. Já passei direto, então agora é torcer para o mar melhorar nos próximos dias pro evento ficar mais bonito?.

 

 

 

A segunda bateria foi vencida pelo francês Medi Veminardi, da Ilha Reunião, que veio ao Brasil para disputar as etapas do Mundial WQS e ficou para competir também no Oakley Pro Junior 2010. Os cabeças de chave continuaram seguindo o caminho da repescagem no confronto seguinte, quando o pernambucano Luel Felipe voltou a aumentar os recordes do campeonato para 7,83 de nota e 12,23 pontos de placar.

 

 

?Dei sorte porque o mar está muito difícil, as ondas um pouco irregulares, aí consegui achar uma boa direita abrindo para colocar duas manobras fortes, fazer a conexão com o inside para fazer mais duas, então os juízes gostaram e soltaram a nota?, contou Luel Felipe. ?Está bem difícil competir, correnteza muito forte, mas acho que o mar vai dar uma melhorada e ficar perfeito para a galera mostrar um show de surfe aqui?.

 

 

Na sequência, o trialista Ricardo dos Santos derrubou mais um estreante e o também catarinense Luan Wood, de apenas 14 anos de idade, despachou outro para a repescagem. O primeiro cabeça de chave do Oakley Pro Junior 2010 a estrear com vitória na Praia da Joaquina foi o paulista Matheus Toledo na sexta bateria do dia, justamente uma das mais fracas de ondas da quarta-feira em Florianópolis.

 

 

 ?Consegui quebrar o tabu, mas foi com muita dificuldade?, admitiu Matheus Toledo. ?O mar está bem estranho, as ondas entrando muito tortas na minha bateria e a condição difícil não permite que a gente possa mostrar o que sabe, mas o campeonato promete boas ondas e aí a galera vai quebrar mesmo. O importante hoje para mim era passar direto para poder surfar numa melhor condição do mar nos próximos dias?.

 

 

A programação inicial para a quarta-feira era realizar todas as dezesseis baterias da primeira fase do evento principal do Oakley Pro Junior. Mas, a competição precisou ser paralisada por causa da chuva forte que caiu no início da tarde e as duas últimas ficaram para abrir a quinta-feira, as 7:30 horas na Joaquina. A decisão do título brasileiro Pro Junior de 2010 ainda tem prazo até domingo e a organização agora vai tentar priorizar a qualidade das ondas para definir o primeiro campeão brasileiro da temporada 2010.

 

 

 

VAGA NA ELITE NACIONAL

 

 

Além de decidir o título sub-20 da Associação Brasileira de Surf Profissional (ABRASP), o vencedor do Oakley Pro Junior também ganha convite para participar de todas as etapas do Brasil Surf Pro, Divisão Principal do Circuito Brasileiro de Surfe Profissional. Alejo Muniz já está aproveitando a chance esse ano, competindo em igualdade de condições de faturar o título máximo do surfe nacional, sem precisar seguir o caminho normal de classificação para a elite pelos rankings de acesso da ABRASP.

 

 

Com patrocínio exclusivo da Oakley, o Oakley Pro Junior conta com apoio da Prefeitura Municipal de Florianópolis, Fundação Municipal de Esportes, da Power Balance, Gráfica Formag´s, Joaquina Beach Hotel e Restaurante Maurílio II. É homologado pela Confederação Brasileira de Surf (CBS) e pela Associação Brasileira de Surf Profissional (ABRASP), que organiza o evento em conjunto com a Federação Catarinense de Surf (FECASURF) e Associação de Surf da Joaquina (ASJ). O Oakley Pro Junior conta com divulgação da Revista Fluir e Waves e apóia a preservação da Lagoa da Conceição - www.salvealagoa.org.br.

 

 

 

OAKLEY PRO JUNIOR ? PRIMEIRA FASE DO EVENTO PRINCIPAL:

1.a: 12.00=Julio Terres (SC), 11.17=Caio Ibelli (SP), 6.20=Rafael Teixeira (ES)

2.a: 8.84=Medi Veminardi (FRA), 6.16=Marco Fernandez (BA), 4.86=Bryan Franco (SP)

3.a: 12.23=Luel Felipe (PE), 4.84=Tamaê Bettero (SP), 3.97=Ícaro Lopes (CE)

4.a: 7.70=Ricardo dos Santos (SC), 6.64=Krystian Kymmerson (ES), 4.40=Pérsio Nóbrega (SC)

5.a: 7.87=Luan Wood (SC), 7.40=Matheus Navarro (SC), 6.23=Nathan Brandi (SP)

6.a: 6.30=Matheus Toledo (SP), 4.80=Thomas Demetrio (CE), 2.37=Bruno Lopes (SC)

7.a: 8.87=Santiago Muniz (SC), 8.60=Luan Carvalho (SP), 5.83=Bruno Moraes (SC)

8.a: 15.33=Jessé Mendes (SP), 5.60=João Paulo Abreu (SC), 3.20=Diego Michereff (SC)

9.a: 13.07=Miguel Pupo (SP), 10.67=Ítalo Ferreira (RN), 8.37=Gustavo Araujo (SP)

10: 8.40=Peterson Crisanto (PR), 7.60=Yan Daberkow (SC), 6.70=Odarci Nonato (SP)

11: 10.10=Yan Guimarães (RJ), 7.97=Marco Aurélio (SP), 5.54=Kalani Silva (SP)

12: 11.30=Ian Gouveia (PE), 6.40=Cainã Barletta (RS), 4.50=Gustavo Sanches (SP)

13: Jonatan Busetti (SC), Pedro Husadel (SC), Geovani Ferreira (SP)

14: Yuri Gonçaves (SC), Filipe Braz (RJ), Thayson de Souza (SC)

15: Thiago Guimarães (SP), Marthen Pagliarini (SC), Vicente Romero (SC)

16: Cauê Wood (SC), Daniel Gonçalves (RJ), Lucas Silveira (RJ)

 

Terça, 01 de março de 2011
Festival ASPI de Surf Noturno 2011
Sexta, 18 de fevereiro de 2011
Recomeçam aulas de Surf na Praia do Atalaia
Segunda, 12 de julho de 2010
Ídolo do surfe em Balneário Camboriú
anuncie no Jornal | comunicar erro | fale conosco
Todos os direitos reservados - 2009-2015 Jornal dos Bairros